jusbrasil.com.br
17 de Julho de 2019

Esquerda, aparelhamento do Estado, corrupção

Léo Rosa, Advogado
Publicado por Léo Rosa
há 5 anos

Certos seguimentos da esquerda (eu os considero de direita) que atuaram durante a Ditadura Militar pretendiam-se os faróis do futuro. Eles fariam a revolução e conduziriam o povo à libertação do capitalismo. Para opor combate aos opressores, entenderam necessária uma disciplina determinada por sua hierarquia partidária.

Três coisas fundavam a subordinação: a hierarquia que os vinculava era compreendida como centralismo democrático; a análise que faziam da História dava-lhes certeza de sucesso, pois seu método seria científico; cada militante se tinha como apóstolo de uma causa messiânica, salvadora dos povos oprimidos.

Suas ações eram fundadas em uma movediça justificativa. O que quer que fizessem era explicado por uma expressão à época fartamente usada: dialética da História. Seja: de uma aliança partidária qualquer a um assalto a banco, do apoio a um candidato corrupto a um sequestro, tudo era em nome dos meios para um fim.

O Golpe Militar foi o fundo de tudo isso. Os milicos usurparam o poder, sequestraram, torturaram, mataram. Oportunistas, ingênuos e corajosos de esquerda viram nisso o “momento histórico” para a sua própria revolução. Começaram, então, a fazer as próprias tolices. Sem procuração de ninguém, foram à salvação da pátria.

Bobagens à parte, esses grupos se organizaram, militaram e chegaram ao poder. Aí estão e aí estão legitimamente. Quero dizer: aí estão pelo voto e seus votos foram obtidos conforme a nossa tradição: usaram dinheiro, deram dentaduras (há caso documentado), fizeram tudo o que sempre se fez.

Então é tudo igual? Não, não é. Há uma diferença. Não qualifico a diferença de melhor ou pior. Mas o método da turma no poder é outro. Que as práticas políticas brasileiras sempre foram atravessadas por dinheiro, todo mundo sabe, mas era investimento privado. O que a esquerda no poder faz é corromper com dinheiro público.

O Estado foi “aparelhado”. “Aparelho” era o nome dado aos grupos organizados de militância esquerdista. Aparelhar o Estado significa colocar um “companheiro” em cargos públicos importantes. Esse “companheiro” tem uma tarefa: ser “dialético”, ou seja: deve se virar e arranjar dinheiro pra máquina partidária.

Podemos chamar isso de corrupção. Mas corrupção, dirá um esquerdista tipo “dialético”, é um ato burguês; corrupção, dirá um “companheiro”, é expropriação do Estado para fins privados. Roubar do Estado para fins de manter o poder e, no poder, salvar o povo, é pura “dialética”, ou são meios ilícitos para fins justificados.

A Polícia Federal, contudo, não considera tal distinção. A Polícia investiga e denuncia: “Lista revela obras na mira do esquema. A maior preocupação dos policiais federais que atuam na Operação Lava-Jato já não se resume ao suborno pago a diretores da Petrobras para irrigar contas de partidos da base governamental.

O alvo, agora, é uma planilha apreendida no escritório do doleiro Alberto Youssef – o maior operador de propinas oriundas da estatal de petróleo. O documento elenca 747 projetos que figuram entre as maiores obras em andamento no país. Vão de hidrelétricas a hidrovias e irrigação contra a seca, além de extração petrolífera.

A planilha menciona mais de cem empreiteiras. Dos empreendimentos, 41% nada têm a ver com petróleo. As 34 páginas do documento mostram o cliente, o nome de um contato na firma, telefones, o cliente final, no que consiste o empreendimento, a data da proposta e um valor” (DC, 15dez14, editado).

E isso tudo não é a coisa toda: “Gasto de estatais com publicidade sobe 65%. Empresas controladas pelo governo federal gastaram com propaganda R$ 16 bilhões no período entre 2000 e 2013. Petrobras, Caixa e Banco do Brasil gastaram 86% desse valor” (FSP, 17dez14).

E ainda faltam as milhares de ONGs. Nossas ONGs, salvo exceção, são financiadas por estatais. Em geral, são “aparelhinhos” que empregam “companheiros” militantes Brasil afora. Abaixo a maldita Ditadura, sempre. Agora, ca pra nós, esse governo, “dialeticamente”, nos rouba. A esquerda (de direita) nos aparelhou. Que pena.

38 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Como é a mente do esquerdista né? Se você é esquerdista e comete crimes, aparelha o Estado e se locupleta do dinheiro público, ao invés de ser um esquerdista criminoso, você é.... DE DIREITA!?! continuar lendo

O problema não é a corrupção, é não sermos o corrompido. continuar lendo

O sr. Rosa é um dos esquerdistas sonhadores que pensam que a esquerda é a salvação e a direita é a perdição. Mas como a "esquerda" no poder o envergonha, ele trata de jogar as vergonhas e as mazelas para a "direita".

PSDB (e social-democracia) são esquerdistas, mas pelo menos são uma esquerda sadia. Não são lunáticos. São humanos e falham como qualquer um. Não há, ainda, uma direita política no Brasil sólida e consistente, seja liberal, seja conservadora. Precisamos disso no espectro político. continuar lendo

Estava pensando a mesma coisa Roger. Esse pessoal de esquerda tem um caráter excepcionalmente duvidoso, pra não usar outras palavras.
A isto a verdade diz, nas palavras de Lênin: "Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é!"

Sou de Direita Liberal-Conservador e tenho orgulho de dizer isto aos quatro ventos. continuar lendo

Seria bom se o Dr. autor explicasse suas razões para considerar a esquerda como "de direita".

Parece tentar fazer uma relação entre a direita e o mal-caratismo, o que é um erro por si só, vez que é justamente a direita que pauta por atos morais. continuar lendo

Eu acho que ele quis dizer mais referente a mudança da política econômica do partido, que era de extrema esquerda e em 2001 se centralizou mais e "tomou" o espaço do PSDB, aliando a política econômica com os avanços sociais.

Chamar de "direita" é só pela dor de cotovelo mesmo. continuar lendo

Diego, acredito que o A. utiliza um termo muito em voga na Espanha depois da Queda do Muro.
Para uma melhor compreensão sugiro a leitura do artigo ?es usted de izquierdas? (no plural) de GAMUS, Paulina publicado, se não me falha a memória, em El País não tenho certeza se em julho ou agosto pp. Eu particularmente utilizo para designar "direita" ou "esquerda" desde a Queda o vocábulo FILISTEUS. continuar lendo

Nisso você tem razão, mas entendi o que o autor quis dizer... continuar lendo

Impressionante que um sujeito capaz de escrever tamanhas bobagens seja doutor. Faltou dizer que foi a esquerda que inventou a corrupção ou ainda afirmar que antes do PT nunca houve corrupção no Brasil. Coloca palavras na boca da esquerda usando inclusive aspas - o que pressupõe que alguém disse - jamais ditas, o que é por si só uma fraude do autor. Enfim é mais um daqueles artigos que ficam entre a ignorância e a má fé. continuar lendo

Foi exatamente a impressão que eu tive do texto. continuar lendo

Mais um desesperado apelo tentando ligar corrupção e aparelhamento de estado a um só grupo.
Em São Paulo, só após as eleições, a SABESP, que comemora 10 anos na Bolsa de Valores, afirmou que devemos "temer pelo pior". Sendo que há 10 anos atrás, essa situação foi alertada ao Governo, Alckmin, e este nada fez. Afirmou na campanha deste ano que "não vai faltar água em São Paulo", e o problema era "falta de chuvas".

Passada as eleições, não só a Sabesp avisou o iminente risco, como o Governador pediu 3 bilhões de reais ao Governo Federal.

Se o problema não era falta de obras e sim falta de chuvas, pra quê esse dinheiro? SUBORNAR SÃO PEDRO??? continuar lendo

sensacional seu comentário jadson kkkkkkkkkkk...Bem que ele podia pedir um pouquinho mais e subornar o PATRÃO. continuar lendo

O problema da sabesp foi causado pela Dilma do pt comunista que não atuou, permaneceu inerte quando foi avisada de problema de estiagem no país cade o planejamento do partido comunista?
O negocio do pt é só roubar e iludir esses fanáticos perturbados mentais. continuar lendo

Vim Ver, para seu governo, a administração da água, captação, tratamento, distribuição e tratamento dos resíduos (esgotamento sanitário) são atribuição dos Estados e Municípios. Diante disto, pergunto: o que a PresidentA Dilma tem a ver com a crise d´água que assola os paulistas e os paulistanos? continuar lendo